Coding Dojo na AdaptWorks

Nesta última terça-feira, 12 de Abril, tivemos mais um Codigo Dojo na AdaptWorks. Claro, a chuva que caiu no final da tarde atrapalhou um pouco, mas mesmo assim tivemos uma boa quantidade de participantes.

Desta vez resolvemos mudar o condutor do Dojo e o escolhido foi o Juliano Alves (obrigado, Juliano).

Jonas e Juliano, apresentando as opções para o problema

Apesar de algumas pessoas reclamarem, parece que Java continua sendo o “common ground” para a maioria dos participantes. Não que seja um problema, mas alguns gostariam de uma pequena mudança, conhecer uma outra linguagem.

Platéia atenta, mas participativa

Algumas pessoas talvez se sintam constrangidas em participar de um Coding Dojo – algumas por não se acharem com conhecimento suficiente ou por acharem que isso é para um nível mais alto de programação. E para estas situações, é importante lembrar que um Coding Dojo não é criado para mensurar o seu “traquejo” na linguagem, e sim mostrar (e usar) boas práticas em programação.

“Pair Programming”, uma das práticas mais usadas

Inclusive, na Retrospectiva feita ao final da sessão, um dos comentários positivos foi a diferença positiva sentida quando praticando “pair programming”. E é por aí que as coisas se encaminham.

emiyasaki

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *