Conversa Rápida Março

No dia 20/03 (terça-feira), às 20:00 teremos a terceira edição de 2012 do Conversa Rápida.

O Conversa Rápida é um evento que tem como objetivo tirar as pessoas da zona de conforto. É um conjunto de 10 palestras de 5 minutos, seguidas por 5 minutos de perguntas. E os temas das palestras só são conhecidos no momento das palestras. Se quiser saber como foram as edições anteriores, dê uma olhada em nosso canal no youtube.

Nessa edição, os palestrantes confirmados até o momento são:

  • Jonas Abreu – AdaptWorks
  • Heslei Silva – 7Comm
  • Raphael Molesin – Lambda3
  • Claudio Kerber – RBS

Quer assitir? Envie um email para jabreu@adaptworks.com.br para confirmar a presença.
Quer palestrar? Também envie um email para jabreu@adaptworks.com.br.

Bonus!

Os vídeos da edição anterior do Conversa Rápida já estão no YouTube.

Nenhum comentário »

Categorias deste post

ConversaRápida

Treinamento Inédito no Brasil com Johanna Rothman sobre Gestão Ágil de Portfólio

A AdaptWorks inova mais uma vez, trazendo pela primeira vez ao Brasil o treinamento “Manage Your Project Portfolio”, ministrado por Johanna Rothman.

Johanna Rothman, é fundadora do Rothman Consulting Group, uma líder reconhecida na comunidade Agile. Escreveu vários livros sobre gestão, incluindo “Manage It! Your Guide to Modern, Pragmatic Project Management”, “Behind Closed Doors: Secrets of Great Management” (com Esther Derby), “Hiring the Best Knowledge Workers, Techies & Nerds”, “Corrective Action for the Software Industry” (com Denise Robitaille) e “Manage Your Project Portfolio, Increase Your Capacity and Finish More Projects”, sendo este último o mais recente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Este último livro conta-nos, essencialmente, sobre como identificar os primeiros projetos a serem realizados e os que jamais devem seguir adiante. Muitas organizações têm projetos que vêm se estendendo há muito tempo e talvez o caso seria interromper esses projetos, pois eles deixaram de gerar valor. Ou, em alguns casos, um outro rumo pode ser necessário ao projeto, assim como dividi-lo em dois, por exemplo.

O treinamento que Johanna fará aqui no Brasil abordará justamente essas questões, entre outras, tais como:

  • Desenvolver e manter um portfólio ágil, aplicando práticas ágeis e lean.
  • Avaliar os projetos, classificá-los e selecioná-los para incluir no portfólio.
  • Criar confiança entre todos os envolvidos, permitindo uma melhor colaboração.
  • Iterar sobre o portfólio e medir o essencial em projetos e programas.
Recentemente, ela foi entrevistada pelo InfoQ norte-americano, abordando a gestão de portfólio ágil e assuntos como projetos de “missão impossível”, projetos “sagrados” e impedimentos gerais mostrando como superá-los.

Em novembro de 2011, ela participou da “Developer Conference” na Suécia, em uma sessão em que abordava o planejamento de um portfólio ágil.

Para conhecer mais sobre o seu “portfólio” de conhecimento:
  • Boletim que ela mantém e envia por e-mail sobre gerente pragmático: Pragmatic Manager.
  • Apresentações que ela já realizou: Slideshare.
  • 3 Blogs que ela mantém (gestão de produto, contratação de pessoas técnicas e sobre “vida adaptável”): Blogs.

E não percam, pois dias 08 e 09 de maio ela realizará o treinamento inédito no Brasil, promovido e organizado pela AdaptWorks. Oportunidade única!

Atualização: Este workshop teve data alterada e confirmada para 10 e 11 de setembro, em São Paulo. 
1 Comentário »

Categorias deste post

Agile, Lean, Portfólio

A Pressão dos Pares e o Conformismo

A pressão dos pares

No livro “The Influencer: The Power to Change Anything“, os autores alertam que “quando se está buscando ferramentas para influenciar as pessoas que tenham um impacto profundo e persistente nos problemas, nenhum recurso é mais poderoso e acessível do que a persuasão das pessoas que compõem nossas redes sociais. Os elogios e as zombarias, a aceitação e a rejeição de nossos colegas podem fazer mais para ajudar ou destruir um esforço de mudança do que quase todos os outros recursos. Líderes inteligentes sabem usar esse maravilhoso poder que seres humanos tem sobre outros, e ao invés de negar, lamentar, ou atacar, eles abraçam a idéia e a utilizam.

Segundo a Wikipedia[4], Peer pressure se refere à influencia exercida por um grupo em que incentiva uma pessoa a mudar suas atitudes ou comportamento para entrar em conformidade com as normas do grupo.

Jurgen Appelo diz que quando se fala em peer pressure (pressão de pares) ou social pressure (pressão social), nos lembramos de problemas sociais como uso de drogas, álcool, cigarros, etc., e que automaticamente se dá uma conotação negativa. “Peer pressure, não é necessariamente algo ruim, pode estar relacionado com grupos de pessoas motivando umas as outras a fazer algo positivo” [2], afirma. Pode ser também aplicado a esportes, melhor qualidade no trabalho, ou a qualquer outra atividade.

De um ponto de vista sistêmico, peer pressure é um feedback loop positivo. Para Appelo, quanto mais um grupo, exibir determinado tipo de comportamento, mais os outros membros do grupo sentirão-se pressionados a adotar o mesmo comportamento, e antes que você possa notar todos estarão fazendo exatamente a mesma coisa.

Pode se tratar de uma prática de desenvolvimento de software, como Test Driven Development (TDD), ou a utilização de uma ferramenta, o hábito de estudar, o hábito de estar atualizado em relação à uma determinada área de conhecimento, etc.

Appelo ressalta que há condições para que a pressão social se instale e produza resultados positivos em uma equipe:

  1. As pessoas precisam sentir-se parte do grupo.
  2. O grupo deve ter um objetivo e responsabilidade  (por atingir o objetivo) compartilhada.
  3. auto-organização tem um papel fundamental.

Outra teoria que nos prova a influência das atitudes do coletivo no individual é o conformismo.

Conformismo

O psicólogo Solomon Asch realizou um experimento que ficou conhecido como o Experimento de Ash. Foram contratados diversos autores, que junto com uma pessoa que estava sendo testada passavam por um suposto teste de visão. A conclusão do experimento foi que as pessoas assumem a opinião do grupo mesmo mesmo que sejam capazes de identificar o erro, e que  obviamente a resposta do grupo esteja errada.

Veja o vídeo:

Segundo a Wikipedia [3], Conformidade é a condição de alguém ou grupo de pessoas, estar conforme (do lat., com- “junto” + formare “formar”, “dar forma” = com a mesma forma) o pretendido ou previamente estabelecido. Quando a conformidade se dá por submissão, consciente ou inconsciente, é usual dizer-se que ocorreu uma situação de conformismo. Quando um indivíduo ou um grupo reclama ou reage à submissão, não se conformando a crenças ou comportamentos, ocorre o que usualmente se chama de inconformismo.

De acordo com o Psicólogo Social Mucchielli, o conformismo é a atitude social que consiste em se submeter às opiniões, regras, normas, e modelos que representam a mentalidade coletiva ou o sistema de valores do grupo ao qual uma pessoa pode aderir afim de ser tornar parte do grupo.

O Poder da Autoridade

O Psicologo Stanley Milgram desenvolveu a Experiência de Milgram. Milgram fez um estudo sobre como as pessoas tendem a obedecer às autoridades, mesmo que estas contradigam o bom-senso individual. A experiência pretendia inicialmente explicar os crimes inumanos do tempo do Nazismo.

Milgram conseguiu provar com sua experiência que as pessoas de fato podem contradizer o que acreditam ser certo para obedecer uma autoridade, mesmo que obedecer à autoridade possa significar machucar ou até mesmo levar uma outra pessoa a morte, e ainda que a recompensa para realizar esse trabalho seja não mais do que cinco dólares.

Veja mais detalhes sobre a experiência no vídeo:

Além destas tristes constatações, em suas experiências, Milgram também conseguiu constatar que a presença de mais uma pessoa, além da autoridade,  muda o comportamento daquela devido à sua influência [1], ou seja, a pessoa toma uma decisão diferente por observar os valores da outra pessoa além dos próprios.

Quando um indivíduo respeitado tenta um comportamento e é bem sucedido, consegue motivar as outras pessoas a fazerem o mesmo. Em outras palavras, a influência pelo exemplo realmente funciona (mas apenas se for de fato respeitado pelos outros) [1].

Desafios

  • De que forma você pode aproveitar a pressão social, para trazer resultados positivos ao sua equipe?
  • Como você pode influenciar as pessoas a serem “mais ágeis”?
  • Você está sendo conformista, ou está de fato, agindo como pensador crítico questionando as coisas?

Referências

[1] Livro The Influencer: The Power to Change Anything

[2] Livro Management 3.0 por Jurgen Appelo

[3] Wikipedia – Conformidade

[4] Wikipedia – Peer Pressure

[5] Wikipedia – Experiência de Milgram

4 Comentários »

Categorias deste post

Management 3.0