Gestão 3.0 é alternativa para reduzir taxa de turnover entre profissionais da economia criativa

“Durante a última edição da Expo HSM, Alexandre Magno abriu a discussão do conceito entre gestores de todo o País”.

Uma das principais preocupações dos líderes de equipes, a retenção de talentos entre os profissionais da economia criativa pode ser considerada o grande desafio quando se fala sobre gestão na atualidade. O assunto foi abordado durante a última edição da Expo HSM, onde os executivos e gestores das mais importantes empresas brasileiras tiveram a oportunidade de assistir a palestra de ministrada pelo consultor Alexandre Magno sobre o inovador conceito de Gestão 3.0.

Desenvolvido pelo holandês Jurgen Appelo e trazido para o Brasil por Alexandre Magno, sócio-fundador da Adaptworks, o novo modelo de liderança se propõe a ajudar gestores a inspirarem suas equipes rumo ao crescimento e modernização.

Nos últimos anos, as empresas apresentam uma enorme dificuldade de reter talentos em seus quadros de funcionários. A insatisfação tomou conta desta geração de profissionais e fez a rotatividade nas carreiras atingir níveis alarmantes. É cada vez mais comum ver funcionários que, seja de alto, médio ou baixo escalão e sem motivo aparente, pedem demissão ou trocam de emprego repetidas vezes em um curto espaço de tempo.

Segundo o especialista em gestão, Alexandre Magno, a falta de fidelidade destes profissionais tem muito a ver com o método de gestão arcaico aplicado pela grande maioria das empresas. “O método de gestão dominante em nossa economia é fabril, pós-revolução industrial. Esse sistema foi desenvolvido para gerir profissionais não qualificados que desempenhavam serviços braçais de forma repetitiva. É a chamada gestão comando controle, na qual o chefe acredita que basta mandar bem e cobrar bem para alcançar os resultados esperados”, explica Magno.

Atualmente, os líderes de equipe tem que enfrentar uma realidade bastante diferente de décadas atrás, o perfil dos funcionários está cada vez mais qualificado e especializado, é a ascensão do profissional do conhecimento. “É extremamente comum encontrarmos subordinados que têm mais conhecimento do trabalho que desempenham e especialização que seus gestores. Eis a grande dificuldade de reter este profissional. Ele precisa sentir-se desafiado e energizado para entregar os melhores resultados. A motivação deste profissional é interna, não vem de salário ou benefícios apenas, ele preza desafios, crescimento pessoal e qualidade de vida”, enumera o especialista.

De acordo com Magno, a participação no maior evento de gestão da América Latina e a discussão do tema entre os principais líderes do País, deve contribuir em muito para a profissionalização da gestão no Brasil. “Estamos percebendo um movimento dos gestores na direção da educação, em busca de aperfeiçoamento das ferramentas que possuem para lidar com suas equipes”, explica.

Para ajudar nesta tarefa, foi desenvolvido o conceito de Management 3.0, ou em bom português, Gestão 3.0. Criado com base nas expectativas e anseios destes profissionais, este método reinventa o papel do gestor, valorizando a gestão participativa, onde o funcionário divide o poder de decisão e a responsabilidade pelos resultados, bons ou ruins, alcançados.

“O grande diferencial da Gestão 3.0 é a divisão do poder com o funcionário, que passa a se sentir parte importante da engrenagem que move a empresa. O grande segredo dos bons líderes é saber energizar suas equipes para fazê-las desempenhar seu melhor. Valorizar pessoas e a interação entre elas para potencializar o crescimento e a modernização da empresa”, conclui Alexandre Magno, que estará fazendo uma palestra sobre como atrair, energizar e reter os profissionais da economia criativa durante a edição 2012 do Expo HSM 2012, maior evento de RH da América Latina.

belias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *