As 2 lições que eu te ensinaria sobre Liderança – Parte 2

Calma, não tenho pretensão nenhuma de ser um grande exemplo de líder, referência no estudo ou sequer trazer uma definição completa do tema. O título foi motivado pela pergunta do meu coach: “Willi, o que você ensinaria sobre liderança a alguém?”

Depois de umas 2 semanas matutando, o resultado foi dois posts sobre o tema. Aqui está o primeiro, e aqui vai o segundo:

Parte 2 – Como formar um grande time?

Era uma vez, num projeto muito muito atrasado, um diretor que acertou um prazo “desafiador demais” com o cliente. Era a sexta-feira da última semana do prazo, que se encerrava na segunda. A equipe não estava confiante de que poderia entregar o que tinha sido prometido pelo diretor e o chamou para explicar isso.

O diretor escutou em silêncio tudo que a equipe tinha a dizer. Em seguida, se levantou diante de todos e começou a falar: explicou o quanto aquele projeto era importante para o país, (e realmente parecia super importante daquela perspectiva), explicou o quanto aquele projeto mudaria o rumo da empresa, a posicionando entre as maiores daquele segmento, e o quanto isso seria bom para o futuro daquela equipe e de cada um dos membros, pois teriam aquela baita experiência na bagagem, e que tinham que tentar, pois sem tentar nunca saberiam se conseguiríam!

Nossa, você podia sentir a energia na sala. Todos ficaram altamente inspirados. Era como se fossem aqueles minutos antes de começar uma daquelas batalhas estilo “Coração Valente”. Então ele disse que todos tinham que se sacrificar e fazer um esforço extra para cumprir aquele prazo.

Todos pensaram: “OK, vamos nessa!” (Entenderam o recado – madrugada e final de semana trabalhando.)

Sentindo o impacto positivo de seu discurso ele disse: “Qualquer coisa, estarei no celular.”

E foi embora.

Ficou nem pra pizza. 8(

Vamos lá, todos aprendemos que “o líder é aquele que inspira”, certo? Bom, esse diretor foi altamente inspirador. Pelo menos com suas palavras, mas faltou a atitude acompanhar o discurso.

Este é um dos problemas dessas simplificações de definições: saber inspirar é importante sim, mas não é tudo. Ah, e é mais uma habilidade que não precisa vir necessariamente do “líder”. Aprenda a inspirar e você estará “sendo líder” naquele momento.

Aqui uma excelente dica pra você desenvolver essa habilidade: http://www.ted.com/talks/simon_sinek_how_great_leaders_inspire_action?language=pt-br

image02

Voltando à atitude do diretor, ela tem um potencial muito danoso à empresa, pois gera distanciamento entre as pessoas, desmotivação, atitudes egoístas, acaba minando o espírito de equipe e em última instância, as pessoas acabam deixando a empresa [Exame Online] [Época Negócios].

E as pessoas são importantes para a empresa: são elas que desenvolvem os produtos, prestam os serviços, pensam nas estratégias de venda, lidam com os clientes, muitas vezes são a própria cara da empresa! É estratégico manter os talentos. Muitas empresas já aprenderam e investem nisso.

Mais uma questão que me intriga é: de onde veio essa atitude? Qual crença ele tinha (ou não tinha) que fez com que ele agisse dessa forma. Foi apenas a cultura? 

Foi quando notei um tema recorrente em vários outros discursos inspiradores sobre liderança. Destaquei aqui algumas fontes e frases com essa mesma temática:

No filme 300, o Rei Leônidas diz: “No final das contas, a verdadeira força de um Espartano é o guerreiro ao seu lado. Então o respeite e honre, e isto retornará a você.”

Isso servia tanto para as Falanges Espartanas quanto para as Legiões Romanas, pois à sua esquerda, no braço que segurava o escudo, você defendia a pessoa à sua esquerda, enquanto atacava com o braço direito e era defendido pelo escudo de quem estava à sua direita. Mas o sentido da frase é bem mais amplo que isso!

image03

Não era só nessas guerras da antiguidade em que esse tipo de valor existia. Assista a este outro tocante vídeo TED – Why good leaders make you feel safe, e veja que quando os “heróis” são questionados “Por quê fizeram seus grandes atos?”, a resposta era sempre a mesma: “Porque eles teriam feito o mesmo por mim.“.

Isso não acontece só em guerras. Aqui um exemplo fictício do Al Pacino no filme “Any given sunday”, no mundo dos esportes: “Olhe para o cara ao seu lado… Você verá um cara que se sacrificar pelo seu time porque ele sabe que quando for a hora, você fará a mesma coisa por ele. “

E na nossa realidade – nos nossos projetos? Eu tive a felicidade e o privilégio de viver alguns exemplos dessa atitude também: um colega que assumiu uma bomba pra liberar outro pra acompanhar a esposa ao médico, pra ver o ultrassom do filhinho pela primeira vez; um gerente que assumiu sozinho a operação no Natal, pois tinha prometido liberar a equipe naquele projeto conturbado durante o período de festas; um grupo que ministrou um curso voluntariamente pra arrecadar dinheiro pra ajudar uma colega que estava passando por uma situação financeira bastante complicada.

E é assim que você deve agir quando estiver líder para formar um grande time. Promova este ambiente de confiança, faça ao outro o que gostaria que ele fizesse por você, e através de seu exemplo, essa cultura se propagará entre os demais membros do time.

Acho que foi isso que faltou no diretor da história do começo desse post. (Mentira! Faltou um monte de coisas! Faltou alinhamento com a equipe antes de assumir o compromisso; faltou visualizar o andamento do projeto – um burndown por exemplo – pra saber antes que já não daria pra cumprir com o escopo no prazo; faltou priorizar as entregas pra ter como entregar valor, mesmo sem entregar tudo; faltou realmente ouvir o que a equipe estava dizendo naquela sexta-feira… Mas se detalhasse isso tudo, o post ia ficar enorme!! 8)

Como escrevi no começo do texto, isso não esgota o assunto liderança. Vou deixar mais algumas referências sobre o assunto aqui no final, mas se você ainda não assistiu aos vídeos que deixei de referência, recomendo fortemente que pelo menos esse último você assista. Vou deixar até embedado aqui (O Bruno Pedroso que me passou a primeira vez), é emocionante!

“O melhor líder é aquele que as pessoas mal sabem que existe. Quando as coisas tiverem sido feitas, as pessoas dirão: ‘nós fizemos'” – Lao Tzu

Grande abraço!

Willi

Referências:

1 – Há vários filmes/séries que nos dão lições valiosas sobre liderança, em particular gosto muito da série Band of Brothers;

2 – Essa apresentação nota 10 do Filósofo Mário Sérgio Cortella: https://www.youtube.com/watch?v=WjWeJbOVYP8

3 – Os livros e treinamentos sobre Management 3.0;

4 – Gosto muito de escutar o podcast do Max Gehringer, apesar de às vezes achar muito orientado a realidades meio “antiquadas”: http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/max-gehringer/2006/06/13/LICOES-PARA-UM-LIDER.htm

http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/max-gehringer/2013/03/13/VOCE-SE-CONSIDERA-UM-LIDER.htm

5 – Leia umas pitadas de Jack Welch, O Monge e o Executivo, Dale Carnegie, 7 Hábitos das pessoas altamente eficazes, etc.

6 – Quem é a sua referência? Cola nela!

Nenhum comentário »

Categorias deste post

How to Build Great Teams, Management 3.0