O que realmente é um impedimento?

Com a popularização do Scrum como principal método ágil para desenvolvimento de software, muitas equipes ágeis adotaram em seu vocabulário o termo “impedimento”. O termo, porém, gera muitas controvérsias, por ser extremamente subjetivo.

Um impedimento é qualquer fato ou risco que pode prejudicar o progresso ou a performance de uma equipe durante uma iteração ou release.

Se considerarmos uma equipe auto-gerenciável e o seu potencial de autonomia, podemos considerar que esta equipe deveria ser capaz de resolver qualquer um de seus impedimentos. Mas, se considerarmos que esta equipe passou por um processo de amadurecimento e nem sempre foi capaz de resolver seus impedimentos, passamos a considerar com maior realidade o contexto natural de uma equipe auto-gerenciável.

A falta de permissões para acessar um determinado servidor de banco de dados e criar uma tabela, pode realmente ser um impedimento, tão importante quanto precisar entrar em contato com um fornecedor de um framework específico para renovar o contrato de utilização de suas APIs. O que vai determinar se ambos são realmente um impedimento ou não, é a capacidade que um Coach (Scrum Master) tem de desenvolver a autonomia de sua equipe, garantindo que ela seja capaz, a longo prazo, de resolver qualquer um de seus impedimentos, restante somente os mais complexos ou os menos previsíveis para que seu Coach os ajude. Ou seja, não basta que o Coach de uma equipe simplesmente resolva seus impedimentos podando suas oportunidades de aprendizado sobre autonomia. É importante que ele resolva os impedimentos sempre junto com a equipe. Desta forma, como se estivesse trabalhando em par, o Coach garante que a equipe está aprendendo a resolver seus próprios impedimentos e amadurecendo, conforme a complexidade destes impedimentos cresce. Restam, de fato, aqueles impedimentos esporádicos e não tão previsíveis onde a habilidade de um bom Coach se faz extremamente necessária.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Muitos impedimentos têm relação direta com a autonomia para tomada de decisões. Um Coach pode utilizar-se de ferramentas como o Quadro de Autoridade e os 7 Níveis de Delegação do Management 3.0 para negociar com uma equipe que ainda está começando a lidar com auto-organização e auto-gerenciamento, níveis de delegação sobre tomadas de decisão frequentes durante suas iterações e releases. Se o Coach busca trabalhar colaborativamente nos níveis mais baixos de delegação, ou seja, nos níveis em que a decisão está sob seu controle, em pouco tempo ele perceberá uma equipe amadurecendo a sua autonomia e o seu auto-gerenciamento. Desta forma, por mais subjetivo que seja o assunto “impedimento”, ele fica naturalmente ligado ao amadurecimento de uma equipe e, consequentemente, a capacidade de uma equipe de resolver seus próprios impedimentos ao longo de seu desenvolvimento pode ser percebido como uma medida de maturidade sobre seu auto-gerenciamento.

Nenhum comentário »

Categorias deste post

Sem categoria