A origem do Agile Testing

Origem

Se você já leu algo referente a Agile Testing vai lembrar logo do livro de mesmo nome, lançado em 2009, e associar a origem do termo às autoras, Janet Gregory e Lisa Crispin, certo? Errado!

Em 2002 Bret Pettichord já falava sobre Agile Testing [1] associando com princípios de Context Driven Testing [2]. Na sequência, em 2003 Brian Marick criou o Quadrante de Teste Ágil para distinguir dentro de um processo ágil os testes baseados em negócio e em tecnologia, e os de suporte ao time dos de crítica ao produto.

Elisabeth Hendrickson, em 2008, também já falava sobre Agile Testing em sua palestra Agile Testing, Nine Principles and Six Concrete Practices for Testing on Agile Teams [3].

Lisa Crisprin, em 2002, trabalhou em um time que aplicavam as práticas de XP – Extreme Programming e já começava a criar algumas técnicas de como um testador poderia trabalhar em um time XP. Logo após o primeiro livro formal sobre o assunto foi lançado: Testing Extreme Programmimg [4]. Anos depois ela e a Janet Gregory lançaram o livro Agile Testing que é um compilado das experiências das autoras no processo de transição do Teste Tradicional para o Teste Ágil e como o testador pode ajudar a equipe.
Hoje este livro é a principal referência sobre Agile Testing.

Teste Tradicional x Agile Testing

A imagem abaixo já vai ilustrar uma similaridade e a diferença da adoção de cada abordagem:

origem-agile-testing

origem-agile-testing_2

No projeto por fases podemos ver nitidamente que há uma fase de testes, mas esta depois do desenvolvimento ter sido concluído. A ideia do tamanho das caixas nos passa uma falsa impressão que realmente teremos tempo para testar, mas o que acontece em diversos projetos (até hoje) é a fase de testes ser diminuída e termos uma nova caixa antes da Entrega: o “Teste->Bug->Correção->Reteste” que toma muito mais tempo do que qualquer planejamento inicial de testes.

No Agile os testadores trabalham em cada Interação junto ao time e testam a funcionalidade mesmo quando ela está em desenvolvimento. A funcionalidade/requisito/regra (User Story + Critérios de Aceite) só estarão realmente entregues depois de testado (que são pontos do DoD – Definition o of Done).


Gostou? Fique ligado no nosso blog que logo logo tem mais!

Não esqueça de deixar seu comentário 😉

Facebook  |  Twitter  |  Linkedin | Youtube

Elias Nogueira

Agile Coach Associado Adaptworks Treinamentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *