Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Scrum Guide

 

O Scrum é um framework de desenvolvimento descrito em um guia de dezesseis páginas e como praticante você deveria lê-lo com frequência.

Isso mesmo, o Scrum é um framework com um texto curto, direto e simples. Um bom significado para Simples é “o que é elementar, não apresentando qualquer embaraço para sua compreensão.” Ou seja, no Scrum Guide temos apenas o que é elementar para o desenvolvimento de produtos com o objetivo principal de ser um guia de fácil compreensão.

ScrumButAo mesmo tempo, colocar em prática como descrito no guia não é uma tarefa fácil. Qualquer praticante sabe que praticar Scrum é fácil na teoria todavia a prática do dia a dia é muito mais dolorosa. É muito fácil e cômodo cometer desvios e começar a executar o famoso ScrumBut.

Você executa ScrumBut quando você diz coisas como: “eu prático Scrum mas não faço reunião diária”, “eu uso Scrum mas minha área de negócio não sabe e eu não tenho PO”, “eu pratico Scrum mas tenho sprint só de documentação”.

Aparentemente, não parece haver problema ao se executar um Scrum pela metade, ou faltando uma perna, porém o Scrum é baseado em teorias complexas, como executar ciclos diários de PDCA (Planejar, Desenvolver, Checar e Agir).

A reunião diária é o momento do Scrum que obriga o time a executar um ciclo de planejamento, execução, checagem e ação todos os dias. Ou seja, não fazer a reunião diária implica em não fazer o ciclo diário de PDCA e no longo prazo alguém vai pagar essa conta.

Em cada um dos ScrumButs exemplificados passa-se por cima de alguma teoria que embasa o Scrum.

O Scrum é um framework simples mas emergiu a partir de um time de desenvolvimento que estava cansado da forma antiga de trabalhar e que estudou muito para elaborar o framework. Os criadores do Scrum estudaram teorias de relacionamento interpessoal, teorias de produtividade de times e indivíduos, teorias de linhas de produção enxuta.

Ou seja, criaram um framework simples e que é embasado por teorias complexas.

leitura-scrum-guideAo ler o framework com frequência você tem menos chance de corroer um pedaço dele por desconhecimento e terá, assim, um conhecimento do que é Scrum de forma mais concreta.

Outra coisa importante é saber o que faz parte e o que não faz parte do Scrum.

O Scrum é um framework enxuto e no qual o praticante pode preenche-lo com os recheios que fazem sentido para um projeto específico. Muito do que se comenta sobre Scrum em blogs e livros dizem respeito aos recheios e não ao core do Scrum. Por exemplo:

  • User Story não faz parte do Framework do Scrum mas você pode usar;
  • O quadro de kanban não faz parte do Scrum mas quase todo mundo usa;
  • A reunião diária não precisa ser em pé em frente ao quadro mas é mais produtiva se realizada desta maneira.

Poderia ficar enumerando vários outros benefícios, o que ficaria cansativo…

Mas para finalizar:

O Scrum Guide é a base do framework mais utilizado em projetos ágeis hoje em dia e demora menos de 30 minutos, inicie a leitura agora! 🙂

Referências

ScrumGuide

Scrum, A arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo. Jeff Sutherland

VersionOne. State of Agile Survey 2011.

___________________________________________________________________________________________________________________

Gostou? Fique ligado no nosso blog que logo logo tem mais!

Não esqueça de deixar seu comentário 😉

Facebook  |  Twitter  |  Linkedin | Youtube

Anderson Diniz Hummel

Professor na Universidade Presbiteriana Mackenzie dos cursos da FCI das disciplinas que envolvem Java nos mais diversos sabores e na Faculdade Impacta Tecnologia de Arquitetura de Software do curso de Pós Graduação em Engenharia de Software.

Leave a Reply

Close Menu