Um tema que muitos tem falado, mas poucos tem entendido. Leia neste artigo simples e objetivo o que é RH Agil.

Definitivamente um das perguntas mais proferidas nos dias de hoje: O que é o RH Ágil? 

Muito mais importante do que uma “modinha” ou buzz word, ele veio para ficar. 

De onde veio essa ideia

O agile nasceu oficialmente em 2001 através do Manifesto Ágil, trazendo na sua essência o desenvolvimento de software, pregando a colaboração entre times de tecnologia e pessoas de negócio. 

Após a primeira década de agilidade nós começamos a presenciar a disseminação da agilidade em outras áreas das empresas.

Ela foi se alastrando em mais times, atingiu áreas de negócio, financeiro, C-Level e agora a bola da vez é o RH. 

RH habilitador da Agilidade

Muitas empresas têm se deparado com uma série de barreiras durante a sua jornada de transformação ágil.

Considerando o poder de alcance em todas as áreas da organização e a sua notada habilidade em lidar com pessoas, o RH passa a ser peça fundamental para remover estes impedimentos, alavancar a mudança e gerar valor para a organização. 

Mas de fato o que realmente significa recursos humanos trabalhando com agilidade? 

Bom, o pensamento Lean-Agile fala de eficiência e eficácia e nós podemos aplicar este conceito para entender melhor o que é o RH Ágil.  

Eficiência e Eficácia

Os conceitos de eficiência e eficácia não são novos, vale lembrar que eficiência é “fazer certo as coisas” e eficácia é “fazer a coisa certa”.

Eficiência: Foco no processo e metodologia 

Aqui podemos citar alguns exemplos: 

  • Podemos adotar um quadro kanban para visualizar e melhorar o fluxo de contratação; 
  • Adotar a prática de retrospectivas para melhorar continuamente; 
  • Aplicar ferramentas de delegação e descentralização da tomada de decisão. 

Todas estas práticas ágeis (e inúmeras outras) são extremamente valiosas para melhorar o trabalho, mas o pensamento Lean-Agile nos convida a questionar se este processo, ou a aplicação destas práticas, gera valor. 

E é aqui que entra a eficácia. 

Eficácia: Foco na geração de valor 

Bom, aqui temos um campo aberto para alguns temas valiosos: 

  • Novas formas de motivação e recompensa; 
  • Questionamento dos modelos tradicionais de recompensa e carreira; 
  • Criação de um ambiente resiliente e tolerante a falhas; 
  • Trabalhar com a diversidade; 
  • Aprendizagem organizacional; 
  • Democratização do coaching para diferentes níveis e não apenas para a alta gestão; 
  • Preocupação com toda a jornada do colaborador; 
  • Employer Branding, sua empresa como marca empregadora 

RH que gera valor

Tá, mas como o RH pode gerar valor para a organização e deixar de lado de vez, aquela velha postura de área de suporte?

Quando o RH atua para gerar valor:

  • Para o colaborador, que agora se sente parte de um ambiente que permite o seu desenvolvimento profissional e como ser humano, além de ter um propósito definido e mais claro.
  • Para o cliente porque organizações ágeis se beneficiam da diversidade e de ambientes mais colaborativos para gerar soluções inovadoras. 
  • Para a Marca da sua organização, que agora passa a ser mais valorizada por clientes, colaboradores e talentos. 

É claro que tudo isso envolve uma série de ações e mudanças organizacionais e sozinho o RH não terá sucesso.

É preciso ter uma liderança que respira o Mindset Ágil e inspira a mudança, e este agente de mudança, é claro, também pode ser o RH.

Pois é, chega de encaixotar os recursos humanos na folha de pagamentos, cargos, salários e benefícios.

O RH é protagonista! 

Então, gostou do nosso artigo sobre o que é o RH ágil? Comente, deixe seus comentários abaixo. Obrigado e até a próxima!

Diego Bonilha

Sou formador oficial da ICAgile na trilha Agile Coaching Expert e SPC (SAFe Program Consultant) oficial. Tenho experiência como desenvolvedor, líder, gerente de projetos e Scrum Master. Agilidade em escala e novos modelos de gestão em um mundo em constante evolução são assuntos que me fascinam e por isso busco. apoiar a mudança organizacional das grandes empresas em diferentes níveis

Este post tem 4 comentários

  1. Everton

    Uma dúvida que tenho a respeito desse assunto é como as pessoas são avaliadas e reconhecidas? Quem decide pela valorização das pessoas?

    1. Diego Bonilha

      Everton, esse tema é realmente delicado.
      Existem diversas formas de você reconhecer o trabalho: um bônus, uma promoção, um elogio. Tudo isso é válido.
      O que passamos a questionar agora são os gatilhos e os modelos. Já sabemos que dinheiro é importante, mas podemos pensar em algo mais constante, evolutivo e sadio tanto para a empresa, quanto para o colaborador. Precisamos um ambiente que faça do reconhecimento um hábito e não algo que fazemos mediante uma situação adversa.
      Com relação as avaliações, podemos considerar algo mais ligado ao time. E não algo hierárquico ou que venha de uma estrutura totalmente fora do seu dia-a-dia.
      Então, uma outra ideia é pensar o RH como um verdadeiro “parceiro de negócios”, ou seja, ele deixa de ser uma estrutura que será demandada e passar a ser parte do todo, trabalhando diariamente junto das pessoas.
      Isto melhora a qualidade dos feedbacks, ações para orientar planos de carreira e também das avaliações.

      Essa sua pergunta é tão importante que poderíamos falar disso por horas e mesmo assim não esgotaríamos o tema, porque sempre precisamos considerar o contexto em que a empresa está inserida.

      Bom, espero ter ajudado!

    1. Noel Portugal

      Olá, tudo bem?

      Ficamos felizes em receber sua visita no nosso Blog. Entraremos em contato para entender melhor quais são as suas dúvidas.

      Grande abraço!

Deixe uma resposta