Existem inúmeras técnicas que ajudam a categorizar e priorizar features e estórias e o Modelo Kano é uma delas, considerado de fácil entendimento e muito apropriado para esse objetivo. 

Uma das funções mais importantes de um agente de negócios, seja o Product Owner ou o Product Manager, é a priorização. Vejamos como fazê-la utilizando o Modelo Kano. 

O Modelo Kano 

Criado por Noriaki Kano na década de 80, o Modelo Kano divide as funcionalidades em 3 categorias distintas, conforme exemplo abaixo: 

Modelo Kano

Básico 

São aquelas funcionalidades que o seu produto “tem que ter“. 

Aqui tem algo que o cliente espera que o seu produto tenha. E, além disso, ele também espera que isso funcione bem também,  afinal de contas é algo básico. 

Estas funcionalidades mantém o seu produto competitivo. 

  • Hotel:  Uma boa cama, um bom chuveiro, quarto limpo 
  • Locadora de veículos: Um bom site para reserva, diversidade de categorias e preços 
  • Smartphone: Boa tela sensível ao toque, facilidade para localizar aplicativos 

O mais curioso nesta categoria é que os itens que aqui estão não satisfazem o cliente, mas a sua ausência o deixa extremamente insatisfeito ao ponto de até mesmo não consumir mais o seu produto. 

Competitivo / Performance 

Segundo o Modelo Kano, aqui estão funcionalidades que o seu cliente deseja, ou seja, ainda estamos falando de algo conhecido. 

Vamos aos exemplos: 

  • Hotel: Um drink de boas-vindas, um frigobar no quarto, desconto na locação de veículos 
  • Locadora de veículos: Retirada e entrega rápida sem burocracia   
  • Smartphone: Bateria com alta durabilidade, capacidade de memória. 

Quanto mais itens competitivos, maiores serão as chances de agradar o seu cliente. 

Diferencial / Atrativo 

Aqui estão aquelas features que o cliente não imaginava encontrar. Algo realmente surpreendente, encantador. 

Para chegar aqui pense em algo inovador ou até mesmo exclusivo. 

Exemplos: 

  • Hotel: Academia, programa de fidelidade, city tour 
  • Locadora de veículos:  Internet de graça no veículo, voucher do Spotify  para ouvir suas músicas no veículo 
  • Smartphone: Câmera(s) de alta performance, recursos de voz e multimídia 

Neste tipo de categoria normalmente temos que fazer escolhas. Afinal de contas, estes diferenciais podem demandar investimentos altos. Então, escolha 1 ou 2 funcionalidades. 

Um ponto muito interessante do Modelo Kano é que, seguindo estas 3 categorias, você pode literalmente se livrar de funcionalidades que ele chama de “indiferentes” e  de “insatisfação”, ou seja, features que não agregam valor algum ao seu produto e algo que até mesmo incomode o seu cliente, respectivamente. 

Para concluir, vale dizer que as técnicas de priorização serão eficazes se você conhecer de fato o seu cliente. 

Observe os novos (e nem tão novos assim) hábitos de consumo, compartilhamento de bens como bicicletas, malas, máquinas fotográficas e tantos outros. 

Já parou para pensar o que de fato seria um diferencial para uma companhia aérea da categoria low cost

O que é diferencial para um, pode ser básico para outro. É a sua proposta de produto e a resposta do seu cliente é que deve te guiar. 

O Modelo Kano também está representado no pôster da Mia Kolmodin, que você pode baixar por aqui.

Espero que o Modelo Kano te ajude e fique ligado que em breve falaremos de outros modelos de priorização de features. 

Deixe seus comentários abaixo. Até mais!

Rodrigo Costa

Atuo diretamente na transição e experimentação ágil em diferentes organizações. Experiência profissional em TI em diversos segmentos, minhas principais certificações: SPC4 (SAFe Program Consultant), SAFe Agilist (SA), SSM e POPM pela Scaled Agile; ICP (Instructor Authorization) e Certified Agile Professional pela ICAgile.

Deixe uma resposta