Será que as suas User Stories são boas o suficiente para INVESTirmos nelas?

Pois é, esse acrônimo I.N.V.E.S.T. nos ajuda a escrever e repensar a escrita das nossas melhores User Stories.

Vejamos o que significa cada letra dessa técnica:

INDEPENDENT (Independente)

Independent

Para que as suas User Stories sejam independentes elas não podem depender de nenhuma outra para ser implementada.

Se não respeitarmos este critério corremos o risco de carregar uma série de outras histórias de usuário a medida em que o Product Owner prioriza uma determinada história.

Agora sejamos francos. É fácil atingirmos este critério?

Acredito que não, no entanto, vale a pena colocar alguma energia para chegar o mais próximo possível desta tal independência.

NEGOTIABLE (Negociável )

Negotiable

Quando escrevemos User Stories partimos do princípio que nem todos os detalhes não estarão escritos.

Mais importante do que isso é manter o foco na necessidade.

Outro aspecto muito relevante é que as histórias podem ser escritas a quatro mãos.

Em algum momento criamos uma ideia equivocada de que a escrita é responsabilidade exclusiva do Product Owner, porém, é um desperdício não aproveitarmos todo o capital intelectual do próprio time para também escrever e apoiar a escrita de histórias e é por isso que a negociação é importante.

VALUABLE (Valiosa)

Valuable

Todas as User Stories têm que gerar valor para o usuário!

Sim! Para o usuário, afinal de contas estamos falando de histórias de usuários.

De todas as letras que compõe este acrônimo este talvez seja o mais importante.

Esqueça aquela ideia de escrever histórias de front-end, banco de dados e coisas do gênero. Podemos tratar isto através da escrita de outros artefatos.

ESTIMABLE (Estimável)

Estimable

Os times têm que ser capazes de estimar as histórias e para isso elas precisam ser claras e pequenas.

Então, o foco não é exatamente a sua estimativa, mas sim o quanto somos capazes de fazer isso ao ler e discutir a história.

SMALL (Pequena)

Small

Ser PEQUENA se conecta diretamente com ESTIMÁVEL que comentamos anteriormente.

Partindo do princípio de quanto menor o lote de trabalho melhor a sua previsibilidade, se a sua história obedecer a este critério, o time pode ter mais facilidade em estimar.

Pensar SMALL te orienta a uma escrita mais objetiva e concisa.

Aqui há um benefício direto para o Product Owner. A medida em que suas User Stories ficam prontas ele já pode degustar, digamos assim, daquela pequena implementação.

Então, se a história é SMALL, a tendência é que ela chegue mais rápido nas mãos dele enquanto o time se concentra em outras pequenas partes.

TESTABLE (Testável)

Testable

Se a sua história pode ser testada em toda a sua plenitude então ela atende a este requisito.

As condições necessárias para fazer a sua validação normalmente estão indicadas nos critérios de aceitação.

Melhoria Contínua

Honestamente eu não gosto de pensar o acrônimo INVEST como um check list onde a sua história só pode ir para uma “planning” do time quando atende a 100% destes critérios.

Mas para dar um empurrãozinho na velocidade em que as suas User Stories melhoram eu adicionaria a técnica INVEST no seu DoR (definition of ready).

Fazendo isso você terá que refletir a escrita das histórias antes de colocá-las na arena.

Mais importante do que a técnica em si, é você trazer um dos pilares do Mindset Ágil aqui neste contexto: Melhoria contínua!

Por isso que pensar em um trabalho evolutivo é mais interessante do que em um check list.

A medida em que você vai aprendendo a respeito do seu produto e alimentando o seu Backlog, a tendência é que a qualidade na escrita das User Stories melhore ao longo do tempo.

Bora escrever User Stories com o INVEST!

Deixe seus comentários se gostou do artigo. Obrigado!

Diego Bonilha

Sou formador oficial da ICAgile na trilha Agile Coaching Expert e SPC (SAFe Program Consultant) oficial. Tenho experiência como desenvolvedor, líder, gerente de projetos e Scrum Master. Agilidade em escala e novos modelos de gestão em um mundo em constante evolução são assuntos que me fascinam e por isso busco. apoiar a mudança organizacional das grandes empresas em diferentes níveis

Deixe uma resposta