Conhecido como uma ferramenta de gestão de trabalho adotada por empresas que buscam fluidez nos seus processos, descrevamos aqui as 6 práticas do Kanban. Juntas, elas contribuem para melhorar o fluxo da produção.

Vamos listar cada uma dessas práticas e explicar um pouco de como adotá-las ao implementar o Kanban. Lembrando ainda que esta é uma abordagem de gestão aplicada a um processo de trabalho já existente na empresa e que tem como uma das premissas o “comece com o que você faz hoje”.

  • Visualização
  • Limitar o trabalho em andamento (WIP);
  • Gerenciamento do fluxo;
  • Tornar as políticas explícitas;
  • Implementar feedbacks loops;
  • Melhorar a colaboração e evoluir experimentalmente.
Visualização

Vamos começar então mostrando como usar cada uma dessas práticas do Kanban. A visualização listada como o início desse processo permite gerar uma colaboração eficaz e identificar o que pode ser melhorado.

Ela contribui para a transparência do processo e, como a visão é uma característica muito forte para os seres humanos de uma maneira geral, essa etapa também ajuda na absorção e processamento das informações em um menor intervalo de tempo.

Limite o “work in progress”

Já os limites de trabalho em andamento, conhecidos como limites WIP (Work in Progress), são utilizados para controlar a quantidade de trabalho simultâneo existente no seu processo evitando uma sobrecarga no sistema, o que acabaria por gerar grandes atrasos nas entregas de itens.

Gerenciamento do Fluxo

O gerenciamento do fluxo, é uma das práticas do Kanban que tem como objetivo manter um ritmo sustentável do processo através da utilização de métricas e uma análise quantitativa do trabalho, para a identificação de gargalos e outros pontos que possam prejudicar a previsibilidade das entregas.

Crie política explícitas

A quarta prática é tornar as políticas explícitas. Ou seja, ter transparência e clareza com todos os envolvidos nas etapas desde os colaboradores responsáveis por aquele trabalho até os clientes.

Essas políticas ajudam a auto-organização das pessoas dentro de um sistema Kanban. Vale lembrar que elas devem ser bem definidas, visíveis e facilmente alteradas.

Ciclos de feedback

Partimos então para a quinta prática que é implementar feedbacks loops, pois todo sistema baseado em fluxo precisa ser analisado e revisado através de reuniões regulares, permitindo aos envolvidos entender os pontos de melhoria necessários.

Melhorar a colaboração e evoluir experimentalmente.

Melhorar a colaboração e evoluir experimentalmente é a sexta prática do Kanban. Já sabemos que o Kanban é uma ferramenta de mudança contínua. Mudanças essas que são feitas colaborativamente e usam experiências baseadas em modelos e métodos científicos.

Nesta última etapa, o feedback e as métricas também são muito importantes porque ajudam a guiar para o caminho evolutivo dos processos.

Gostou do conteúdo? Pronto para utilizar o método Kanban e melhorar os processos da sua empresa?

Acesse também aqui no blog O que é Kanban?”.

Rodrigo Costa

Atuo diretamente na transição e experimentação ágil em diferentes organizações. Experiência profissional em TI em diversos segmentos, minhas principais certificações: SPC4 (SAFe Program Consultant), SAFe Agilist (SA), SSM e POPM pela Scaled Agile; ICP (Instructor Authorization) e Certified Agile Professional pela ICAgile.

Deixe uma resposta